Pedro Chagas Freitas
Pedro Chagas Freitas Como F**er um casamento?

Notícia

Como F**er um casamento? 9. Lembrar tudo

A ausência é constantemente o que dói: o que de repente, ou não tão de repente assim, deixamos de ter. Melhor ainda: o que de repente, ou não tão de repente assim, deixamos de sentir.
06 de dezembro de 2019 às 00:00
...
Como F**er um casamento? 9. Lembrar tudo

Tenho a sensação de que o mundo é um pássaro de barro, sabes? Uma ironia cruel: para quê ter asas se não as podemos mexer?

Estou deitado no quarto fechado. À minha volta as lembranças.

À nossa volta estão sempre as lembranças, uma espécie de barro que nos impede o movimento.

Magoa-me o que já fomos, muito mais do que aquilo que ainda somos.

A insuficiência não é o motivo para a infelicidade, somente a felicidade recordada.

Somos o que conhecemos.

Nunca ninguém que nunca foi verdadeiramente feliz é verdadeiramente infeliz.

A ausência é constantemente o que dói: o que de repente, ou não tão de repente assim, deixamos de ter. Melhor ainda: o que de repente, ou não tão de repente assim, deixamos de sentir.

Qual é mais infeliz: o que nunca amou ou o que deixou de amar?

Eu estou algures entre os dois. Magoa sentir algum espaço vazio no que outrora ocupava tudo.

O que fere não é o espaço vazio: é o espaço desocupado, o espaço que outrora nos fazia plenos e agora nos faz incompletos.

Fomos o irrespirável, o arfar, o gemido, a ansiedade, a ânsia, até a angústia, e a saudade, e o medo, a aventura, o arrojo, o risco, o suor, a roupa espalhada, os lençóis amarrotados. É nisso que penso quando nos olho agora.

A infelicidade é pensar no que já não é, no que jamais voltará a ser.

O que somos é bom, muito bom. Somos a respiração calma, a paz, as palavras doces, o abraço protector, o beijo envolvente, o cuidado, a ternura, a segurança, o refúgio, a amizade maior, a intimidade serena, a cumplicidade, o afago, a gentileza, a preocupação. Tudo tão bom. E no entanto.

A puta da recordação.

A puta da recordação deixa-me triste, a comparação deixa-me triste. Talvez porque já não volta o que já fui, talvez porque é a prova de que o tempo passou — e com ele nós, o que fomos nós, passou.

O tempo só passa quando não tem volta.

Não temos. Não temos volta. Tudo o que lembro de nós é melhor do que tudo o que sinto de nós.

 A morte é apenas o momento em que tudo o que te deixa feliz já aconteceu.

E nós, lamento, somos cada vez mais o que fomos.

 

*

 

Estamos tão crescidos, meu amor,

lembras-te do quão inconsequentes éramos quando nos metemos por aquela estrada de madrugada e fomos sem destino só à procura de nós?,

o amor é irmos à procura de nós, eu sei,

mas é isso o que também agora fazemos, não é?,

temos um espaço partilhado,

temos um templo de amor, não achas?,

sabemo-nos tão bem,

o amor é sabermo-nos bem, eu sei,

quando um está triste o outro sabe e aproxima-se, sem querer salvar mas apenas para querer estar, cuidar, ouvir,

amar,

o amor é estar, cuidar, ouvir, eu sei,

sou a tua mulher e tu és o meu homem, que silêncio haverá maior do que este?,

a felicidade tem tantas faces, há tantas maneiras de sermos felizes, graças a deus,

e a nós, sobretudo,

que soubemos andar juntos, ficar mais fortes juntos, entender que é muito mais o que se ganha do que aquilo que se perde quando se ganha idade,

envelhecer só acontece aos velhos,

aos que se deixam derrotar com a idade, como se mais um ano fosse menos uma possibilidade,

cada dia é mais um dia de nós, já viste que sorte?,

estás no quarto, dormes e eu penso em ti,

amo-te, eu sei,

quando penso em ti amo-te ainda mais,

por vezes apetece-me abraçar-te só por me teres dado a oportunidade de viver contigo tudo o que passámos a ser,

somos tão grandes quando amamos, não somos?,

a idade leva-nos tudo menos o amor,

obrigado,

amo-te,

nunca te esqueças.

Mais notícias de COMO F***DER UM CASAMENTO Manual Prático para Mulheres e para Homens

COMO F*DER UM CASAMENTO  18. PASSAR UM DIA SEM UM BEIJO.

COMO F*DER UM CASAMENTO 18. PASSAR UM DIA SEM UM BEIJO.

Saíste. E nem um beijo. Simplesmente foste. Tinhas certamente muito em que pensar, a empresa, as preocupações, as contas para pagar, os desafios que te esperam, mas foste sem um beijo. Deixaste um até logo distante, que quando foi falado já não estava aqui.
COMO F*DER UM CASAMENTO 14. CEDER À PREGUIÇA

COMO F*DER UM CASAMENTO 14. CEDER À PREGUIÇA

CARTA AO PREGUIÇOSO ARREPENDIDO: Meu grandessíssimo burro, como querias tu que a paixão resistisse, que a nossa vida, tal qual a sonhámos resistisse, se simplesmente te deixaste cair na preguiça? Como?
COMO F*DER UM CASAMENTO  15. SER RACIONAL.

COMO F*DER UM CASAMENTO 15. SER RACIONAL.

Eu sei: a culpa é minha. A culpa é minha e desta minha cabeça que não pára de pensar. Que não pára de questionar. Que não pára de querer entender tudo e mais alguma coisa.
COMO F***DER UM CASAMENTO  11. MAGOAR.

COMO F***DER UM CASAMENTO 11. MAGOAR.

Somos do tamanho do que impedimos em nós para magoar quem amamos. Em mim impeço tudo. Se sei que te pode magoar, paro. Se sei que te pode magoar, respiro, acalmo. E não faço.

Comentários

Comentários
este é o seu espaço para poder comentar as nossas notícias!

Mais Lidas

+ Lidas

;